Crítica do dorama “My Lovable Girl”: Romance fraco em um cenário promissor

14 de julho de 2017 às 21:10 | Por

Não há  nada que seja mais nocivo a um dorama de romance que um casal protagonista sem química,

 se não é possível acreditar nesse amor todo o dorama é comprometido, e é exatamente nisso que “My Lovable Girl” peca. Isto não acontece por conta da atuação puramente, contudo prosseguir e tentar dar credibilidade a um casal com estruturas tão frágeis acabou por fazer desacreditar todo o roteiro, que possuía muito mais a mostrar se trabalhado de outra forma.

 

My Lovable Girl conta a história de Hyun-Wook (Rain), presidente de uma indústria de entretenimento, compositor e produtor, o rapaz perde a namorada em um acidente. Hyun-Wook acaba conhecendo a irmã mais nova dela, Yoon Se-Na (Krystal) que sonha em se tornar compositora. Eles então acabam se apaixonando um pelo outro.

 

Hyun Wook se aproxima da jovem sabendo de sua ligação com ela. Porém, a jovem acaba envolvida romanticamente com ele desconhecendo tal conexão, sendo ela ex-cunhada do rapaz.

 

É difícil acreditar no amor dele por Se Na quando a todo o momento ele olha para ela, recordando sempre a irmã, que ele amou muito. Com isso, é fácil começar a questionar se o rapaz gosta realmente dela ou apenas das recordações que ela traz. A esperada revelação da verdade a Se Na, que ocorre sem muita emoção, é mais uma mostra da linearidade do roteiro, sem clímax e plot twists.

 

 

Mas nem tudo é ruim, como dito anteriormente, outras linhas de história do drama são interessantes e poderiam tê-las aproveitado melhor. Na história, podemos acompanhar os bastidores de uma empresa de entretenimento desde a vida de trainer ao debut e, posteriormente, sucesso ou fracasso da carreira, principalmente com o personagem Shi Woo (Kim Myung-soo), membro de uma boyband que acaba se apaixonando por Yoon Se-Na, e por muitas vezes essa demonstração de afeto parece mais genuína que o do casal protagonista. 

 

 

A forma como a imprensa está sempre em cima dos idols, os fãs sempre exigentes e o verdadeiro malabarismo dos representantes em lidar com situações complicadas também são muito bem retratados. Infelizmente, todos esses elementos poderiam,  mas não são o suficiente para salvar o drama.

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.