Webcomic Metalmancer, história sobre bruxaria e heavy metal

23 de maio de 2017 às 21:02 | Por

Se você procura encontros macabros, rituais satânicos, demônios fugitivos  e todos os elementos que compõem o universo do metal, a dica é “Metalmancer”, webcomic escrita por Andrio Santos e com desenhos de Jéssica Lang.

 

A história, definida como uma tragicomédia, tanto assustadora quanto cômica, acompanha a necromante headbanger Vitória.  Almas desoladas e heavy metal constituem seu mundo e ainda dá o tom a magia que pratica. Mas os mortos estão longe de ser seu maior problema. Um bando de demônios escapou do inferno e estão raptando headbangers, sem motivo aparente. Quando Vitória encontra restos humanos incinerados por fogo infernal, está na hora de abrir as portas do inferno e desafiar o diabo.

 

“Metalmancer foi um projeto inevitável. Eu e o Andrio Santos, o roteirista da HQ, passávamos um tempão falando sobre metal, sobre as bandas que curtimos. Um dia, nos ligamos que, com algumas exceções, não temos muita coisa sobre a subcultura. Claro, temos alguns filmes legais, menções aqui e ali, mas é isso.  Já estávamos na pilha de fazer uma história em quadrinhos juntos, e foi assim que chegamos aos temas: heavy metal e bruxaria. Claro que a HQ não é só para quem gosta de metal. Metalmancer é uma história sobre Vitória, necromante que tem que lidar com o contato muito próximo com os mortos. Queríamos explorar essa questão como uma dualidade na história, porque ao mesmo tempo em que Vitória está bem perto dos mortos, ela é uma personagem cheia de vida […] Nós gostamos de investir nas personagens. Para nós, a relação entre personagens, a profundidade disso, é bem importante. Aliás, eu e o Andrio desenvolvemos a história juntos, desde tramas e subtramas até alguns detalhes mais simples. Depois, ele pegou esse material escreveu o roteiro. Então, comecei a ilustrar. “, contou Jessica Lang para o Mais QI Nerds.

 

A quadrinhista contou ainda o que esperar da história: “Uma das coisas que nos deixou mais contentes foi brincar com os “mitos” sobre o mundo do metal. Então vocês vão ver rituais, cemitérios, demônios e todo esse tipo de lenda que a gente ouve de vez em quando. Além disso, a história tem uma pegada meio tragicômica, com uns toques de humor negro, algo que acho que ficou bem legal.”

 

 

Organizada em volumes, onde cada um deles compreende uma história completa, composta por 6 edições, a webcomic terá uma página postada a cada sábado no aplicativo Tapas.  Para quem quiser ter esse material antes e ainda, ao fecharem a edição, conseguir a versão completa em PDF, basta apoiar a HQ no site Apoia-se. As recompensas do apoio são, além do PDF, ter as páginas semanais com antecedência, sendo elas postadas em grupo do Facebook exclusivo a apoiadores,  local ainda onde serão postados conteúdos extras (indicações, postagens sobre metal ou quadrinhos, referências, discussões sobre a trama).

 

Os que não conhecem como o Apoia-se funciona, ele é uma espécie de patrocínio mensal. No caso de Metalmancer, a partir do apoio de R$ 5,00 você já recebe as edições completas da revista (PDF) e entram no “Hell of Fame”, uma seção de agradecimentos, no final de cada edição.

 

Sobre o apoia-se, Lang falou da importância desse tipo de apoio: “Acho que posso dizer que Metalmancer tem uma proposta bem honesta. Nós estamos oferecendo uma história de drama, comédia e horror, com algumas experimentações no roteiro e na arte. Queríamos liberdade para fazer algo diferente para os leitores. E o apoia.se foi a maneira que encontramos para viabilizar o projeto. Por que apoiar? Bom, primeiro porque, se alguém curtir, pode nos ajudar a manter o projeto vivo e, depois, a desenvolver ainda mais. Também porque queremos ter uma relação próxima com os leitores e criar coisas bacanas para eles. Nessas primeiras semanas de apoios, já conseguimos movimentar o grupo dos apoiadores no Facebook e entregar alguns prints pelos correios. Temos muitas ideias e surpresas para quem apoiar a revista. Claro, além disso, queremos investir cada vez mais na qualidade da história também”

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.