Editora Lendari anuncia selo de quadrinhos

30 de Janeiro de 2018 às 17:26 | Por

A Editora Lendari anunciou seu novo selo editorial Pulp, especializada em HQs.  Nenhuma data cairia tão bem para o anúncio, quanto o Dia do Quadrinho Nacional comemorado neste 30 de janeiro.

 


“Desde o início de 2017 venho sentindo a necessidade de dividir a Lendari em selos temáticos. E não por acaso a nova linha de ação começa com a marca de quadrinhos, pois já havíamos lançado, no ano passado, o primeiro livro do personagem Capirotinho, de Guilherme Infante”, explica o editor-chefe e presidente do Grupo Lendari, Mário Bentes.

 

Para encabeçar a nova empreitada da editora, o escritor e roteirista Douglas MCT foi convidado para ser o editor. E foi ele a dar nome ao selo. “A PULP remete a uma expressão clássica do início dos anos 1900, e faz alusão a revistas de entretenimento, tanto quadrinhos como literatura. Além disso, PULP deriva de polpa, algo de alto padrão de qualidade”, explica Douglas MCT.

 

Se ao ouvir Pulp você lembra de Pulp Fiction, de Tarantino, está no caminho certo. O gênero pulp não cabe apenas aos filmes do diretor, como ainda em orbas de escritores como Isaac Asimov, Robert E. Howard, Raymond Chandler e Dashell Hammet.

 


“Os primeiros herois de HQs, como Zorro, John Carter e Tarzan nasceram em revistas pulp. Histórias de terror e detetives também nasceram por aqui”, completa Douglas.

 

Os primeiros autores anunciados pelo selo são Lucas Moreira e Rafael Fritzen, cujo trabalhos possui inúmeros fãs na internet.

 

Lucas é criador das “Tirinhas do Rex”, que  conta com mais de 200 mil fãs no Facebook. Já Rafael é o responsável por “Ângulo de Vista”, que já atingiu a incrível marca de mais de um milhão também na rede social.

 

 

 

 

 

 

Outra aquisição do selo é o criador Guilherme Infante, que já havia sido lançado “Capirotinho” – um dos títulos mais vendidos de 2017 – pela Lendari.



“Isso é apenas o começo. Estamos de olhos em outros autores e criadores nacionais. Será o grande foco da PULP, assim como tem sido a Lendari. Também esperamos assinar, muito em breve, com quadrinhistas mulheres, que têm tido papel fantástico no mercado com grandes trabalhos”, afirma Mário Bentes.

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.