Resenha: Livro “A Caçada de Goya”, uma lenda de Karinna Pimenta

12 de Janeiro de 2018 às 20:21 | Por

Sinopse: 

 Inspirado na história dos Imortais do Himalaia, este romance envolvente narra a história de Gaia, uma menina que vê sua vida se transformar pelo encontro real com Thórum, o leão negro que a persegue em seus sonhos desde pequena. Na fuga para Vallejabor, cidade dos Goyas, ela descobre que possui o “símbio” de Neuss, um dos três imortais; e com essa descoberta, a missão de salvar uma civilização fundada há quase mil anos. Mas, para isso, terá que assumir sua essência, arriscar a própria vida, partir em busca da ajuda que só ela acredita existir, e, sobretudo, confiar no impossível.

 

“A menina. O símbio. O leão negro. E o mais fantástico dos sonhos”

 

O livro de fantasia apresenta uma história cativante e emocionante. A construção de um mundo mágico, inspirado nas histórias dos Imortais do Himalaia, se mostra original. Karinna Pimenta consegue em apenas um livro apresentar uma história completa, bem amarrada e ao mesmo tempo promissora, onde o leitor será instigado a continuar acompanhando Goya e seu habitantes. O que ocorrerá, pois A Caçada de Goya é o primeiro de uma trilogia. Os próximos livros já possuem título, são ÁphusO retorno de Ayéllus, respectivamente.

 

A escolha de usar como inspiração as lendas do Himalais surgiu de uma conversa de Karinna com uma amiga, Graciema Tamanho – ao qual é baseada a personagem Tiamorê – onde ela descrevia sua excursão ao local. Segundo a autora, isso foi somado a um roteiro que se dedicava baseado em espiritualidade e cultura holística.

 

 

O povo Goya além de possuir habilidades incríveis, sendo eles muito espiritualizados, apresentam ainda um estilo de vida que proporciona em diversas passagens reflexões sobre lições apresentadas sem falso moralismo ou pieguice. A forma como tratam a questão de livre arbítrio e sua percepção de morte e destino são muito interessantes.

 

A descrição dos cenários e cenas de luta são pontos altos da narrativa, que é feita por um narrador onipresente. É claramente imaginável pela descrição, que apesar de detalhada, é objetiva e dinâmica. Outro fator de destaque é a presença de um perigo real, palpável. Em diversas cenas, a autora deixa claro que em um confronto, o resultado é imprevisível, o que deixa a narrativa repleta de tensão.

 

Aos contrário do que ocorre em diversos livros do gênero, a autora, no momento da seleção dos nomes dos personagens, optou pela simplicidade. Gaia, Eme, Lazinha e Nomadon, exemplos disso, são nomes fáceis de memorizar e assim, acaba facilitando a fluidez da leitura.

 

Toda magia apresentada na obra é relatada como algo muito instintivo, realmente um poder que aflora de dentro. O processo de desenvolvimento das habilidades dos personagens é retratado de forma espontânea e gradativa, assim como o amadurecimento do personagem como um todo, principalmente da protagonista Gaia.

 

 

Como destaque, temos uma maior percepção das características da menina em detrimento dos demais personagens. Isso ocorre obviamente pelo protagonismo desta, mas também pela quantidade de personagens apresentados e pelo livro conter um história focada na aventura em si. Torcemos para que os demais livros possam explorar ainda mais as individualidades dos personagens principais.

 

Cheia de seres fantásticos, magia e aventura, A Caçada de Goya vai te surpreender!

 

————————————————————————————————————————————————————————————

 

Karinna Pimenta nasceu em 15 de Junho de 1974, na cidade de Brasília/DF, Brasil. Tornou-se mineira ainda criança, quando se mudou para Curvelo com a família e depois para Belo Horizonte. Formada em Administração de Empresas, possui especialização em Custos e Finanças e MBA em Marketing. Aos 32 anos deixou a carreira de executiva para dedicar-se à maternidade. Trocou a cidade pela mata, a vida agitada pelo autoconhecimento. Começou a escrever durante as madrugadas, entre fraldas e mamadeiras, e não parou mais. É autora de crônicas, contos e romances. Mora com o marido e os filhos em Belo Horizonte, Minas Gerais.

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.