PR: Debate O olhar feminino na produção de HQs Curitibanas

8 de Janeiro de 2018 às 17:24 | Por

Em comemoração ao Dia Nacional do Quadrinho, a Gibiteca de Curitiba reunirá, no dia 30 de janeiro, às 19h, oito mulheres quadrinistas. O debate “O olhar feminino na produção de HQs Curitibanas” será mediado por Mylle Silva (A Samurai) e acontecerá em dois momentos.

 

Na primeira parte, as autoras Pryscila Vieira (Amelie, Uma mulher de verdade), Márcia Macedo d´Haese (Smilinguido, Mig & Meg) Raphaela Corsi (Revista Capitolina / A revolução das narrativas feministas nas histórias em quadrinhos) e Celina Pacheco (Calafrio/ Mestres do Terror) falarão sobre representatividade de gênero, narrativa feminina e desafios enfrentados pelas minas no mercado de publicações.

 

Já na segunda parte, Mylle convidará Bianca Pinheiro (Mônica Força / Dora), Má Matiazzi (Morte Branca / Loira Fantasma de Curitiba) e Amanda Barros (Ursereia) para falar sobre o projeto A Samurai, do qual todas são coautoras. Em seguida, haverá o lançamento da HQ A Samurai: Primeira Batalha.

 

 

A Samurai é uma HQ viabilizada através de financiamento coletivo e o primeiro projeto de quadrinhos de Mylle Silva. Para realizá-lo, ela convidou oito quadrinistas nacionais e pediu para que cada um desenhasse um dos capítulos da história – e cada capítulo tem uma cor predominante.

 

A ideia nasceu do seu amor por personagens fortes e ganhou asas com a ajuda de muitas pessoas. Esse livro é também uma homenagem ao quadrinista Claudio Seto (1944 – 2008), o primeiro artista a publicar mangás no Brasil.

 

Depois da boa receptividade que o primeiro volume teve, Mylle decidiu dar continuidade ao projeto, transformando-o em uma trilogia. Além do spin-off, a segunda parte da história, A Samurai: Yorimichi, já foi publicada.

 


A entrada para o evento será gratuita. Confirme presença! 

 

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.