Distopia brasileira, HQ Teocrasília debate interferência da religião na política

13 de novembro de 2017 às 18:34 | Por

Criada por Denis Mello, Teocrasília fala sobre um futuro distópico não muito distante, no qual a bancada religiosa da política nacional domina o país após um episódio que ficou conhecido como “Revolução da Palavra” estabelecendo um regime teocrático. A HQ é o primeiro volume dos seis previstos. Nela  veremos a evolução do trio central da trama. 

 

A edição será publicada pela Editora Caligari, contudo, uma espécie de pré-venda online foi criada através da plataforma de financiamento coletivo Catarse. Assim, o leitor, além de comprar a HQ, pode levar diversas recompensas como card game, pôsteres, postais, marca páginas…

“Se você concorda que a mistura de política e religião pode nos levar por um caminho obscuro enquanto sociedade, apoie esse projeto. A intenção em primeiro lugar, claro, é contar uma boa história recheada de elementos de drama e ação, mas um dos grandes objetivos é chamar atenção para os problemas que a interferência de preceitos e valores religiosos na esfera política podem provocar. Especialmente quando o fanatismo impera, sobrepujando a razão e o respeito às liberdades individuais.” disse Denis.

 

A HQ contará com 144 páginas em preto e branco, formato 21×28. A pré-venda encerra no dia 05 de dezembro, com entrega em janeiro de 2018.

 

“Conto com a participação de todos os amigos, de qualquer religião ou de nenhuma! Teocrasília não se trata de uma crítica à religião, mas sim dessa prática cada dia mais comum no nosso país de envolver líderes religiosos ou membros dessas comunidades na política de forma determinante, impondo através das leis seus preceitos e dogmas a todos os cidadãos. Na HQ explorarei o aspecto mais extremo dessa prática, expondo malefícios causados à sociedade quando se abandona a democracia e o estado laico em prol de uma teocracia, e eles vão desde perda de diversos direitos civis até a própria intolerância religiosa.” enfatizou Dennis.

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.