A Samurai: Primeira Batalha, HQ feita só por mulheres, chega ao Catarse

8 de agosto de 2017 às 14:22 | Por

A campanha de financiamento coletivo da HQ A Samurai: Primeira Batalha está no ar. Feita apenas por mulheres, trata-se de um spin-off da história principal da protagonista Michiki, moça que treina para se tornar samurai e lutar pelo que deseja. 

 

O projeto foi idealizado por Mylle Silva, roteirista da HQ, cujo primeiro volume foi lançado em 2015. Logo a A Samurai, seguiu a continuação, A Samurai: Yorimichi

 

Neste volume, Mylle terá ao seu lado cinco quadrinistas que contarão a história sob o olhar feminino: Renata Nolasco, Mary Cagnin, Chairim Arrais, Má Matiazi e Jéssica Lang. Cada uma responsável por cerca de 10 páginas das 64 totais.

 

Para apoiar basta entrar na página da campanha no Catarse e escolher o pacote de recompensas, que vão desde a HQ impressa (a partir de R$20) a marcadores de páginas, prints, adesivo, imãs e cadernos, conforme o valor. A meta inicial do projeto é de R$9.500. A HQ será em PB, no formato 15cm x 21cm

 

 

https://www.catarse.me/asamurai-primeira-batalha

 

Saiba mais sobre a história

 

Michiko é uma jovem que foi vendida ainda bebê para o okiya (a casa das gueixas) para ser treinada como uma delas. No entanto, seu maior sonho é encontrar a verdadeira família e, para realizá-lo, ela decide quebrar as regras da sociedade japonesa, estratificada e machista, para tornar-se uma samurai.

 

Em sua primeira batalha, encontraremos uma Michiko adolescente e inexperiente, que acabou de ingressar para o exército do daimyou (senhor feudal) Toyotomi. E, antes mesmo que ela pudesse refletir sobre como agir, a samurai iniciante é colocada em uma arriscada batalha que trará consequências irreversíveis para a sua vida.

 

 

 

Para saber mais informações, é só acompanhar o projeto no Facebook e no Twitter da autora. 

 

APOIE!

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.