Resenha: HQ The Few and Cursed –  Os Corvos de Mana’olana (Parte 1/6)

5 de agosto de 2017 às 19:53 | Por

A parte 1/6 da história Os Corvos de Mana’olana , da HQ The Few and Cursed, apresenta a protagonista em um início promissor. Desde já fica claro que se trata de uma caçadora de maldições badass que não foge ao perigo.  Misteriosa, a personagem não tem um nome, sendo conhecida apenas como Ruiva por conta dos cabelos vermelhos. Como nos bons faroestes, a Ruiva vaga pelo mundo caçando tesouros, lendas, maldições e monstros. Um prato cheio para ótimas aventuras.

 

Nesta edição, a Ruiva chega a Mountain View, cidade que está sofrendo com a ameaça de uma Cobra gigantesca, que se alimenta de humanos.

 

 

 

 

A personagem foi criada por Felipe Cagno, juntamente com Fabiano Neves, e apareceu pela primeira vez nas páginas do primeiro volume de  “321: Fast Comics”.  O roteiro de Cagno é fluído, consegue em poucas páginas abrir a narrativa de uma forma que nos dá total impressão de que o mundo e as aventuras que começam a ser pinceladas tem muito a serem desvendadas, o que é totalmente verdade já que está em produção As Crônicas de The Few and Cursed, onde novas histórias explorarão este universo.

 

A arte de Fabiano Neves, e as cores de Ivan Nunes e Dinei Ribeiro, são primorosas e dão o tom certo a todos os aspectos que envolvem um western, de cenário à caracterização.

 

Este início serve como ambientação do contexto em que a trama passa. É acentuado que a Terra sofreu muitas transformações em cenas como, por exemplo, onde a Ruiva vaga por uma parte do oceano pacífico de uma forma bem diferente da que conhecemos.  No western pós apocalíptico, a água do planeta praticamento desapareceu há anos. Contudo, fica aberto como tal fatalidade ocorreu.

 

Os elementos sobrenaturais são recorrentes na trama. Afinal, estamos falando sobre uma caçadora de maldições. Este gancho ainda começa a ser explorado e desperta diversos questionamentos que os leitores ficarão instigados a descobrir, o que só acontecerá nos próximos volumes.

 

A HQ conta com poucas páginas, incluindo ainda uma sessão de representações da Ruiva pelos traços de diversos artistas renomados e ainda uma parte com esboços dos desenhos e roteiro da edição.

 

Estamos aqui falando apenas do início de uma grande jornada, que começa aos poucos, e que  vale a pena acompanhar!

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.