Entrevista: Danilo Sarcinelli conta detalhes de seu primeiro livro

31 de julho de 2017 às 20:05 | Por

Danilo Sarcinelli é engenheiro e escritor, as profissões podem parecer distintas, mas a vontade de colocar suas ideias no papel o direcionou ao mundo da literatura. Assim surgiu Passagem para a Escuridão, fantasia medieval que marca a estreia do escritor. Cheio de e intrigas palacianas e segredos macabros, a obra foi publicada pela Editora Verve.

 

No livro, guiados pela crença no deus-sol Ravi, que ajudou a humanidade a derrotar a Legião Negra do demônio Arkmal, a família Dante tornou a Tibéria um reino próspero e pacífico. Ou pelo menos é o que parece na superfície. Quando o herdeiro ao trono César Dante é exilado após um ato impensável, a corte tiberiana divide-se em facções com planos próprios para o reino. E estão dispostos a tudo para garantir que consigam chegar ao poder. Às vésperas do aniversário de dezoito anos do príncipe Lúcio Dante, um atentado põe em movimento um plano que mudará a Tibéria e os reinos vizinhos para sempre.

 

Confira a entrevista exclusiva que o autor concedeu ao Mais QI Nerds:

 

Como surgiu a ideia de Passagem para a Escuridão?

 

Comecei a escrever com o intuito de contar a história de uma campanha de RPG que havia planejado, mas que morreria no esquecimento pois não tinha com quem jogar. Desde então minha escrita mudou muito e fui descambando da Alta Fantasia para a Fantasia Sombria, gradualmente retirando a magia do meu mundo e focando mais e mais nos conflitos e relacionamentos dos personagens. Escrevi uns 5 livros nesse mundo de Alta Fantasia, e esses eu acabei condensando nos 2 livros que compõem Passagem para a Escuridão. E isso levou mais de 10 anos rs

 

O que mudou desde o primeiro rascunho até a publicação?

 

Então, como eu disse antes, tanto minha história como minha escrita foram mudando bastante ao longo dos anos. Ainda bem! Devemos estar sempre aprimorando nosso texto, nossa escrita, estudando, lendo. Lembro especialmente minha primeira crítica, ainda lá atrás em um dos meus primeiros rascunhos. Um amigo sugeriu que eu não devesse descrever tão minuciosamente as características físicas dos personagens. E obviamente ele tinha razão.

 

Quais foram suas inspirações para a criação da história?

 

Minhas maiores inspirações foram jogos de RPG, jogos de videogame, quadrinhos, filmes, e, obviamente, livros de fantasia e ficção histórica. Acho que um escritor está sempre bebendo de diversas fontes, para depois digerir e processar as referências e depois criar algo novo e diferente.

 

 

A história é concluída ou apresentará uma continuação?

 

Passagem para a Escuridão é dividido em dois livros. O primeiro está disponível como ebook pela Amazon e no formato físico pela Editora Verve. Em breve farei o lançamento do livro 2 como ebook pela Amazon também, ainda sem previsão para o formato físico. Se as vendas do livro 1 forem boas, quem sabe a Editora se anima rs.

 

Como surgiu a vontade de ser escritor, já que sua formação é bem diferente deste ramo?

 

A vontade surgiu com o desejo de contar uma história. Nunca gostei de português  ou literatura no colégio, mas tinha certa afinidade com História Antiga e Medieval, sem falar que sempre gostei muito de ler (não os livros que éramos obrigados a ler no ensino médio). Conforme ia escrevendo e criando meus mundos fantásticos fui percebendo como era divertido ser escritor e como amava essa profissão.

 

O que acha do cenário de literatura nacional de fantasia atualmente?

 

Acho que existem autores incríveis, mas que estão ainda relegados ao ostracismo pela grande maioria dos leitores, seja pelo preconceito pela fantasia nacional, seja pelo preconceito com o ebook, já que esse se tornou o meio mais conveniente de publicação para autores principiantes. Eu mesmo tinha um pouco de preconceito com a fantasia nacional, mas agora vejo que estava errado. De uns meses para cá parece que só tenho lido autores nacionais, e não tenho me decepcionado. A verdade é que todo o mercado de fantasia nacional ainda está amadurecendo, não apenas os leitores, mas também os autores, as editoras e os blogueiros. Acredito que em alguns anos chegaremos ao patamar da literatura de romances nacionais, que emplaca uma autora atrás da outra na lista dos mais vendidos.

 

Tem em mente projetos futuros?

 

Além do livro 2 de Passagem para a Escuridão, estou para lançar um conto que também se passa nesse mundo em uma antologia (ainda secreta!). Estou com outro projeto bem diferente em negociação, mas também é segredo. Fora isso, tenho várias ideias para continuar a história de Passagem para a Escuridão e quem sabe em breve não conversaremos mais sobre isso.

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.