Resenha: HQ “Ilhado”, de Vítor Coelho e Marcelo Salaza

15 de outubro de 2015 às 18:20 | Por

Sonhos sempre permearam o intímo das mentes humanas, sempre dispostas à avaliação e tentativas de definição quanto ao significado deles. Segundo Freud:  “O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”. Já para Jung, “ é um fenômeno natural. [..] Trata-se de um modo específico de funcionamento que não depende da vontade e do desejo, da intenção ou do objetivo do Eu Humano.”. Muitos outros psicólogos, cientistas e filósofos se arriscaram no estudo do mundo onírico.

 

 

 

Na HQ “Ilhados”,  de Vítor Coelho e Marcelo Salaza, o protagonista Daniel também busca o significado dos perturbadores sonhos que o perseguem desde a infância, onde ele se encontra em uma ilha, sozinho.

 

 

Sempre recorrentes, o rapaz consegue não apenas lembrar de seus sonhos, como também definir suas ações dentro deles, os chamados sonhos lúcidos. Lá, ele desenvolve habilidades e técnicas para se manter seguro. Nesta primeira parte, a história introduz a temática, que explora a barreira entre sonho e realidade, e a confusão causada à mente da pessoa que vive nessa divisa.

 

 

 

O roteiro de Vítor Coelho apresenta diálogos que soam naturais e a história, apresentada com idas e vindas de tempo, consegue ser fluida e prender a atenção. O traço de Marcelo Salaza é pesado, com bastante sombras, que atribuem à HQ o tom certo de mistério.

 

Slider_ilhado02

 

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.