Yves Briquet dá detalhes sobre financiamento de “ONODATA”

3 de outubro de 2015 às 22:17 | Por

Organizado pela Draconian Comics, empresa brasileira de storytelling, o projeto de financiamento coletivo para a publicação da HQ  de ficção científica Onodatajá está no ar. Com o objetivo de produzir uma verdadeira saga, o projeto visa angariar fundos para o primeiro volume.

 

A história, ambientada em um universo caótico com um sistema sociopolítico  formado por raças e entidades alienígenas, gira em torno de Meliére, Cricket e Onodata, o mascote do grupo, que encontram Urk Mag´orr, membro de uma raça genocida que está sendo levado em custódia por um cargueiro do Conselho.

 

A HQ contará com 26 páginas ilustradas (mais o conteúdo extra, totalizando 44 páginas) em formado americano: 17cm x 26cm. Os apoios ao projeto variam de R$15 a mais de R$600 , com recompensas que vão desde edições do volume em pdf à uma caixa cheia de materiais variados.

 

Tanto os brindes quanto a campanha em si foram muito planejados. Segundo Yves Briquet, criador da Draconian Comics e roteirista da HQ: “Os valores foram pensados em cima disso, mas também com uma possibilidade de margem para tentarmos financiar a produção da segunda edição, que deve sair no primeiro semestre de 2016. Diferente da nossa primeira campanha do Catarse com o Mascate – o primeiro aplicativo de motioncomic brasileiro – quisemos compor uma gama de brindes mais simples e focados na aquisição de experiências relacionadas à história e aos produtores.”

 

 

pasted image 0

 

Sobre ideia da HQ, Briquet esclareceu que surgiu da experiência dele morando em uma república com mais sete amigos, os quais faziam cursos totalmente diferentes, e de tais diferenças emergiam situações peculiares. A ideia, surgida em meados de 2010, era de que a história se desenvolvesse em torno de personagens com ideais complexos e conflitantes.

 

Algo pensando também por Briquet foi explorar questões relacionadas às descobertas científicas, por exemplo, se descobríssemos formas de vida que pudesse mudar nossa civilização. “Como isso nos impactaria? Uma inteligência artificial que tenha superado nossa capacidade intelectual, nossos sentidos e mesmo com características empáticas, poderia ser chamada de forma de vida? Essas e muitas outras questões compõe o universo de ONODATA e foi parte do substrato para a criação desse projeto, e embora tenha essa complexidade de detalhes, a história é mais centrada nas missões e na relação entre os personagens principais. A ideia é que a história seja algo divertido de se ler e não que pareça uma aula de ciências! hehehe”

 

Para os que se interessaram em apoiar o projeto, Briquet deixa um recado: “Esse foi um projeto que consumiu uma quantidade incontável de horas de desenhos, testes e modelagem 3D, e nos divertimos um bocado criando esse projeto, que é tão rico em detalhes que pode realmente te fazer sentir como se tudo isso fosse plausível. Esperamos que essa edição seja apenas o início de uma verdadeira SAGA, e que vocês venham conosco nessa viagem, que começa em poucos passos, mas que com sua ajuda e contribuição, logo pode alcançar Velocidade de Dobra.”.

Jornalista. Sonho em me tornar uma mistura de Lizzie Bennet e Tracy Whitney, tirando a parte fora da lei. Ler e escrever são o que mais gosto de fazer. Fico nervosa sem um livro na bolsa ou quando não acho caneta e papel quando a inspiração vem. Tenho sonhos a lá filme de Spielberg, ilusões amorosas por Mr. Darcy e obsessão por Harry Potter.